Pular para o conteúdo principal

Postagens mais visitadas deste blog

Por que o homem é animal?

Animal
(Do latim anima)

Existe variadas explicações da sociologia e antropologia que são evidentemente superficiais. Os estudiosos antropólogos e cientistas de todas as categorias distinguem o homem animal racional do animal animal irracional. Os sociólogos e socialistas caracterizam o homem como animal político ou social. Todavia esses "animais" vivem em sociedade. O que faz ser o homem animal ao mesmo tempo que é ser político-social? Deve haver algo em comum entre os animais racionais e os animais irracionais.

Já vimos que "social" na prática todo animal acaba sendo, mas são ambos (animal e homem) políticos? Óbvio que não, só o segundo de fato o é, mas isso ainda não explica a questão. A semelhança da animalidade entre o homem e animalidade dos animais é, sem dúvida, o que é vísivel e comum. O que eles podem ter de vísivel e comum -e é claro que isso não é regra geral à todos os animais- é a natureza de ambos. O que é categórico e definidamente distinto é a razão qu…

Algumas considerações sobre as "duas irmãs Lúcias"

Quando tive a oportunidade de ler o livro de Socci (traduzido para o português lusitano), não hesitei “devorá-lo” em poucas semanas. Fiquei impressionado com algumas revelações que concernem ao mistério (ou mistérios) de Fátima. De fato, haja mistérios! As hipóteses de Socci, tem uma certa atração lógica para explicação de toda essa polêmica das “duas Lúcias”, mesmo sem ele saber e ignorá-la completamente.

Boa parte desses "mistérios", não eram desconhecidos por mim, mas a leitura do livro solidificou as minhas certezas. Quando publiquei a postagem anterior sobre o tema, não o tinha lido, fundamentava-me em outros sítios, particularmente no sítio da Montfort. Confesso que a melhor coisa que fiz foi ter aberto suas páginas e adentrar em sua envolvente leitura. A obra de Antonio Socci suscitou-me mais uma vez, a retomada da abordagem sobre a controversa “Irmã Lúcia II”.

Sim, controversa Lúcia II, e não Lúcia I, é preciso dizer, pois para mim, não resta dúvidas de que a “irmã…

As 12 mentiras históricas contra a Igreja

1. A Inquisição matou 1. 000. 0000. 000 de pessoas entre bruxas, judeus e hereges.

A Inquisição tratou somente de julgar os católicos caidos em heresia, e pouquissimas vezes, vale salientar, foi-se aplicada a pena de morte. Na verdade, a Inquisição Eclesiástica mais aplicou penas leves aos hereges que variam de multas e peregrinações a Terra Santa e não chega nem a 1/3 das mortes que lhe atribuem.

2. A Inquisição relaxou contra os abusos sexuais em crianças de ambos os sexos nas navegações portuguesas.

Primeiro que a Inquisição somente tratava de investigar possiveis hereges, e não abusos em matéria sexual contra crianças. Segundo, se houve tais abusos, não foram das primeiras navegações portuguesas que comportavam somente homens e adultos, mulheres e crianças eram proibidos de embarcar. Terceiro, não havia necessidade naquela ocasião de crianças ou mulheres sairem de suas casas para acompanhar seus esposos nas primeiras expedições a territórios desconhecidos, perigosos e incertos. Esta …