segunda-feira, 30 de abril de 2018

Série - Da Imitação de Cristo: necessidade de pedir o auxílio divino e confiança de recobrar a graça

Livro Terceiro

Capítulo 30

1. JESUS CRISTO. Filho, eu sou o Senhor "que conforta no dia da tribulação'' (Na 1,7).
Vem a Mim, quando te achares aflito.
O que mais impede a consolação celeste é o recorreres tarde à oração.
Porque, antes de me suplicares com todo o coração, procuras consolações e alívios externos.
Daqui vem que tudo te aproveita pouco, até que reconheças  que sou eu que salvo os que esperam em Mim e que, fora de Mim, não há auxílio eficaz, nem conselho proveitoso, nem remédio durável.
Mas agora que recobraste alento depois da tempestade, reanima-te à luz de minhas misericórdias; porque perto estou de ti, diz o Senhor, para tudo restaurar integralmente, e ainda com abundância e profusão. 
2.  Há por ventura coisa difícil para mim? Ou serei igual ao que diz e não faz?
Onde está a tua fé? Tem firmeza e perseverança.
Sê forte e magnânimo e a seu tempo virá a consolação.
Espera-me, espera que "eu virei e te curarei" (Mt 7,7).
O que te acabrunha é uma tentação; e vão temor o que te amedronta.
De que serve a preocupação de futuros incertos senão para "acumular tristezas sobre tristezas" (2 Cor 2,3).
"A cada dia basta o seu mal" (Mt 6,34).
É vão e inútil inquietar-se ou alegrar-se com coisas futuras que talvez nunca se realizem.
É próprio do homem deixar-se iludir por semelhantes imaginações, mas é sinal de pouco ânimo ceder tão facilmente às sugestões do inimigo. 
3.  A ele pouco importa se é por meios verdadeiros ou falsos que se seduz e engana, se é com amor dos bens presentes, ou com o temor dos males futuros que te deita a perder.
Não se perturbe, pois, nem tema teu coração" (Jo 14,27) crê em mim e tem confiança em minha misericórdia. 
Quando te julgas muito longe de Mim, mais perto estou, às vezes, de ti.
Quando pensas que está tudo quase perdido, muitas vezes está próxima a ocasião de granjeares maior mereciência.
Nem tudo está perdido, por te acontecer alguma contrariedade.
Não julgues pela impressão do momento, nem te aflijas com qualquer tribulação, venha donde vier, como se não houvesse esperança de remédio.
4.  Não te julgues inteiramente desamparado, ainda quando, de tempos a tempos, te mando alguma tribulação ou te privo de alguma consolação desejada; porque é este o caminho por onde se vai ao reino dos céus.
E, sem dúvida, convém mais a ti e a todos os meus servos, serdes exercitados nas adversidades, do que se tudo vos sucedesse à vossa vontade. 
Eu conheço os pensamentos escondidos e sei que muito importa à tua salvação seres, às vezes, privado de toda a consolação espiritual, para que não te exalte o bom progresso e te desvaneças do que não és.
O que dei posso tirar, e dar de novo, quando me aprouver.
5  É sempre meu o que dou e quando o tiro; não tomo coisa tua, pois "de Mim procede qualquer dádiva boa e todo dom perfeito"(Tg 1,17).
Se eu te enviar qualquer pena ou contrariedade, não te revoltes nem desfaleça teu coração; eu posso num momento aliviar-te e transformar tua mágoa em alegria. 
Todavia, procedendo eu assim para contigo, sou justo e digno de louvor. 
6.  Se refletires bem e julgares as coisas segundo a verdade, não deves afligir-te tanto com a adversidade, nem desanimar, mas, ao contrário, alegrar-te e dar-me graças.
Até deve ser tua única alegria que eu te aflija com dores, sem poupar-te.
"Assim como meu Pai me amava, também Eu vos amo a vós" (Jo 15,19), disse eu a meus diletos discípulos, e ,entretanto, não os enviei às delícias temporais, mas às grandes pelejas, não as honras, mas aos desprezos, não aos passatempos, mas aos trabalhos, não a descansar, mas sim a produzir fruto copioso na paciência.
Meu filho, lembra-te bem destas palavras.

(Do Livro Imitação de Cristo de Tomás de Kempis. Editora: Círculo do livro. Tradução: Paulo Matos Peixoto.)



Igreja do Concílio Vaticano II em chamas

Fogo! Fogo! Salve-se quem puder! É irônico, não? É irônico convocar um Sínodo neopagão na Amazônia que queima. É estranho o próprio Pap...